quarta-feira, 29 de outubro de 2008

PALAVRAS QUE SURGEM

O sol amarelo já surgia no horizonte, quando Lourdes abriu as janelas do seu quarto, tinha que começar o dia. Café, pão e queijo, essa era a primeira refeição. O banho para despertar e preparar a alma para o dia que ia ser cheio.
Olhou para a sala vazia, gostava de acordar de manhã e ter a casa só sua, no horizonte a expectativa, lançamento do livro, o primeiro da sua vida, hoje, não sabia o que ia acontecer, como seria dali para frente.
O patrocínio tinha acontecido através de uma amiga, um ano sem trabalhar para esse projeto, editora gostou de cara, lançamento.
O pensamento e o medo da resposta do público, da aceitação, tomavam forma, tinha que enfrentar. Era isso que ela queria, era por isso que ela tinha batalhado.
Na verdade estava feliz, tinha conseguido, era vitoriosa.
A capa do livro olhava para ela de onde estava, na mesa de centro. O brilho da capa nova, a cor que tinha escolhido, as letras do título, formavam um conjunto bonito, tinha valido a pena, era isso, tinha valido a pena.
Pegou o livro nas mãos, o cheiro invadiu as suas narinas, o cheiro do novo. Daqui à algumas horas outras pessoas estariam com algum exemplar nas mãos e sentido o mesmo cheiro, vendo o mesmo brilho da capa. As letras saltariam aos olhos do leitor, letras que havia escrito, que havia criado e imaginado.
Levantou, colocou o livro de novo sob a mesa, olhou o céu, o sol já brilhava, o dia já tinha começado.

10 comentários:

Loira e Morena disse...

Que gracinha de texto!!!
Nossa é um orgulho enorme qud conseguimos realizar um sonho assim né...no caso dela, ver ele ali em suas maos, tudo o que ela trabalhou, o q ele queria se materializando!!!
Um trabalho bem feito que lhe rendeu bons frutos...
**so nós sabemos o que é o amor para a gente, cada pessoa sente de uma maneira...adorei isso que vc me disse!!!..talvez seja minah maneira de amar essa, né, talvez eue steja descobrindo o amor..Ai, ai..descoberta dolorida!!..rs**

Beijocas da Loira

mania disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
*** Cris *** disse...

Ana, que lindo texto, fico pensando que me sentiria assim tb se tivesse mais iniciativa e colocasse pra frente o projeto de editar meu livro d epoesias..rs.
Adoro vir aqui, bjs!!!!

Chris disse...

Que sensibilidade, adoro sentir isso qdo leio algo. Sentir que tudo ganha nova cor, novo cheiro quando algo que batalhamos se realiza... esta forma sensivel de transmitir algo e muito especial, pode tomar uma dimensao ou outra dependendo da forma que vc junta as palavras. Amei seu texto, amei sentir essa sensacao da concretizacao de um sonho.

Beijo

ronaldo ichi disse...

Nossa...

Sabe... como muitos, também tenho um livro a ser oferecido á uma editora faz tempo. Mas nunca enviei o material para o editor.

Porque? Não sei.


Mas lendo teu post, essa sensação de algo conquistado e realizado... vou ali tomar um cadim de atitude é já volto...rs


Beijos!!!

Fabio Fernandes. disse...

Fiquei curioso pra saber o nome do livro.. Realmente a sensação de dever cumprido é bem evidente.

Bjos.

(desculpe ser, momentaneamente, pendante mas no fim do texto não seria "sobre a mesa"???)

Taynar disse...

E essa é a parte do 'happily ever after' que muita gente jura não existir!

Beijo, mulher

Ice Ice Baby disse...

boa imagem pra se montar na cabeça...

bjs chuchu

Nem Li disse...

Se eu escreve-se um livro provavelmente ele não seria publicado.

Brisa disse...

Que texto mais gostoso de ler, senti o cheiro do livro aqui!!
BEijoooos