sábado, 29 de novembro de 2008

É, não tem jeito tenho que falar de natal, não que eu não goste, adoro, só não gosto como é divulgado, sem sentido, só consumo e muita comida, acho isso muito triste, acabamos esquecendo o verdadeiro sentido.
Bem, mas voltando ao assunto, já é natal, hoje fui ao shopping para dar uma volta e ir a livraria para ver as novidades, quase não entrei, verdade, a fila do estacionamento era enorme. Quando entrei a coisa era pior, uma quantidade de gente andando comprando, uma loucura.
Eu tenho umas conclusões meio loucas a respeito de certas situações. Ao meu entendimento, acho que quando vai chegando Dezembro e com ele o natal, dispara nas pessoas uma vontade sem nexo de consumo, todo mundo compra, eu vou comprar também, ninguém para pra pensar se precisa, compra, compra e compra e depois se arrepende e muito, tendo que pagar uma conta enorme de cartão de crédito e cheque pré datado.

Acho muito importante o consumo consciente, é difícil, mas da para tentar. É mais inteligente pensar antes de comprar, sem só a necessidade do ter.
E vocês, pensam antes de comprar nessa época de natal?

9 comentários:

Manuzica disse...

Rosa, eu confesso que já fui mais uma no meio dessa multidão. Batia uma euforia qdo chegava o final do ano..mas depois de tanto apanhar, eu aprendi a controlar os gastos.

Esse ano eu comprei apenas o necessário do necessário. De que adianta gastar no natal e passar o carnaval com dor de cabeça? rsrsr

Bjocas.

*** Cris *** disse...

Oi,Rosa,td bem?
Sabe, e tb já fui assim,altamente consumista nesta época do ano,mas agora estou mais ponderada,é preciso,né? Não quero em janeiro ter mais dívidas do que as já tenho...rs
Mas a verdade é que com ou sem compras eu adoro natal!
Bjs!

Mari disse...

por links e mais links cai aqui! e adorei o lugar. Confesso que o consumismo essa época do ano tende a aumentar consideravelmente... a gente acha tudooo mais bonito. Beijooo

Joaninha Bacana disse...

Olá!
Eu odeio essa correria que se forma antes do período de Natal, entao normalmente acabo me organizando e comprando tudo em outubro ou no início de novembro mesmo. Assim, curto mais tranquila o período de dezembro, sem ter que encarar as lojas super-mega-hiper lotadas :o)))
E eu curto um monte fazer os calendários de advento, mesmo sendo um trabalhao :o)))
Beijos, e feliz época de Natal :o)))

Quase Trinta disse...

É uma pena ver o Natal que na verdade significa a comemoração do nascimento de Jesus, virar uma data banalizada pelo comércio e voltada para o consumismo.
O que eu gosto mesmo do natal é ver a casa cheia, a mesa farta, a oração de agradecimento, os abraços gostosos.....
Aqui os presentes de 3 anos pra cá passaram a ser coadjuvantes.

Iêda disse...

Com certeza, todos precisam aprender a controlar. Porém, mesmo que achamos que estamos conseguindo isso, que diminuimos o consumismo nesta época, sempre vamos parar em meio à muvuca, não é mesmo?
Acho que, apesar disso, devemos aprender a agradecer por tudo o que tivemos durante o ano diante da nossa mesa farta de alimentos e de todos os presentes que o consumismo nos garante,mesmo que os acontecimentos não tenham sido de todo bons, já que faz parte da vida e do aprendizado de todos nós! :) O importante é celebrar a vida!

MELISSA S disse...

Natal, em termos de compras, nunca fez diferença na minha vida. Eu compro tanto qto nos outros meses do ano. O que eu acho triste é pq é tanta pressão para que as pessoas consumam e ganhem presentes, q os mais pobres ficam frustrados por não poderem presentearem quem gostam ou fazerem aquela ceia...

ParaTodos disse...

Oi Ana!!! Primeiro parabéns, muitos comentários!!! Bom, claro que concordo com você. É loucura essa idéia de que as pessoas têm que consumir desesperadamente. E o mundo está nos avisando o tempo todo que temos que desacelerar, mudar nossas perspectivas e estimativas. A máxima da compra consciente deve valer para o Natal e para o ano todo. Ótimo comentário.
Aliás, voltei aqui para dizer que assisti ao filme Romance. Achei o filme um pouco chato em certo momento, pelas idas e vindas, pelas reviravoltas. O Wagner Moura por si só já paga o ingresso, mas há várias outras coisas boas no filme: o texto poético, que eu adoro, o regionalismo e a pitada de humor, para dar uma certa leveza. E no final saí do cinema com a vontade de me apaixonar novamente. Acho que isso diz tudo.
Beijos!!!

disse...

não, não penso mto não. compro presentes por impulso e acabo nunca comprando nada pra mim!